quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Efemérides tricolores - 14 de dezembro


1919: em partida válida pelo returno do Campeonato Carioca, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense ganhou por 4 a 2 do Andarahy, graças aos gols de Zezé, Welfare (dois) e Machado. A escalação tricolor foi aquela poesia que todo torcedor carioca já conhecia: Marcos; Vidal e Chico Netto; Laís, Oswaldo Gomes e Fortes; Mano, Zezé, Welfare, Machado e Bacchi. Com quinze vitórias e uma derrota, o Fluminense seguia na liderança da competição, dois pontos à frente do vice-líder Flamengo. Na rodada seguinte, o Tricolor enfrentaria exatamente o rival rubro-negro, e uma vitória bastaria para garantir o tricampeonato (vide 21 de dezembro).

1924: na semifinal do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, diante de "uma multidão entusiástica" no Estádio do Fluminense, em Laranjeiras, a Seleção Carioca ganhou por 7 a 2 da Seleção Baiana. Com cinco tricolores, a escalação do Distrito Federal foi a seguinte: Haroldo [Fluminense]; Pennaforte [Flamengo] e Hélcio [Flamengo]; Nesi [São Cristóvão], Seabra [Flamengo] e Fortes [Fluminense]; Zezé [Fluminense], Lagarto [Fluminense], Nonô [Flamengo], Nilo [Fluminense] e Moderato [Flamengo]. Os gols cariocas foram de Lagarto (quatro), Nilo e Nonô (dois). A final seria em jogo único, contra a Seleção Paulista, uma semana depois, novamente no Estádio do Fluminense - e o escrete carioca se sagraria campeão brasileiro (vide 21 de dezembro).

1939: no primeiro jogo da final do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, em São Januário, a Seleção Carioca ganhou por 5 a 1 da Seleção Paulista, graças aos gols de Carvalho Leite (dois), Carreiro (dois) e Romeu Pellicciari. A escalação do time do Distrito Federal foi a seguinte: Nascimento [Vasco]; Norival [Madureira] e Florindo [Vasco]; Zezé Procópio [Botafogo], Og [America] e Argemiro [Vasco]; Roberto [São Cristóvão], Romeu Pellicciari [Fluminense], Carvalho Leite [Botafogo], Tim [Fluminense] e Carreiro [São Cristóvão]. A segunda partida da decisão ocorreria três dias depois, em São Paulo (vide 17 de dezembro).

1941: no segundo jogo da final do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, em São Januário, a Seleção Carioca ganhou por 4 a 3 da Seleção Paulista. O escrete do Distrito Federal atuou com: Aymoré Moreira [Botafogo]; Domingos da Guia [Flamengo] e Osvaldo [Vasco]; Afonsinho [Fluminense], Zarzur [Vasco] e Argemiro [Vasco]; Pedro Amorim [Fluminense], Lelé [Madureira], Pirillo [Flamengo], Tim [Fluminense] e Patesko [Botafogo]. Os gols cariocas foram de Pirillo (dois), Tim e Lelé. Com uma vitória para cada lado na final, as duas melhores seleções do país voltariam ao mesmo gramado para decidir o título, três dias depois (vide 17 de dezembro).

1944: na quarta partida da final do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, no Pacaembu, em São Paulo, a Seleção Carioca perdeu por 4 a 3 para a Seleção Paulista. O escrete do Distrito Federal atuou assim: Jurandyr [Flamengo]; Norival [Fluminense] e Newton Canegal [Flamengo]; Biguá [Flamengo], Danilo [America] e Jayme de Almeida [Flamengo]; Pedro Amorim [Fluminense], Zizinho [Flamengo], Heleno de Freitas [Botafogo], Ademir Menezes [Vasco] e Jorginho [America]. Os gols cariocas foram de Ademir Menezes (dois) e Heleno de Freitas. Após quatro jogos, a Seleção Paulista tinha 2 vitórias, com 1 empate e 1 vitória da Seleção Carioca. Pelo regulamento, seria disputada a quinta e última partida, quatro dias depois. O sorteio determinou que o jogo final seria no Rio de Janeiro - onde a Seleção Carioca se sagraria campeã brasileira (vide 18 de dezembro).

1949: em jogo amistoso internacional, no Estádio de General Severiano, o Fluminense venceu o Malmö, então campeão nacional da Suécia, por 2 a 1, graças a dois gols do ponta-esquerda Rodrigues Tatu (um deles de pênalti).

1957: em partida válida pela penúltima rodada do Campeonato Carioca, o Fluminense ganhou por 4 a 2 do Bangu, de virada, perante 34.774 presentes (29.725 pagantes) no Maracanã. No primeiro tempo, Luiz Carlos abriu o placar para os alvirrubros. Já na etapa final, Waldo empatou para os tricolores, e Mário colocou o Bangu novamente em vantagem, cobrando pênalti. Na sequência, porém, Waldo, Róbson e Telê marcaram, e o Fluminense venceu numa virada sensacional. O resultado manteve o Tricolor na liderança da competição - na última rodada, o Fluminense decidiria o título em clássico com o Botafogo (vide 22 de dezembro).

1983: na partida final do triangular do Campeonato Carioca, o Flamengo venceu o Bangu por 2 a 0 no Maracanã, e então começou a festa tricolor: o Fluminense era novamente campeão carioca! O Fluminense dependia do resultado desta partida, porque caso o Bangu vencesse, ainda haveria uma partida extra entre tricolores e alvirrubros. Mesmo já eliminado, o Flamengo jogou com seriedade e venceu, o que possibilitou que o Fluminense garantisse o título sem precisar jogar novamente. É campeão!
Fluminense, campeão carioca de 1983!
Em pé: Aldo, Duílio, Ricardo Gomes, Jandir, Branco e Paulo Victor;
Agachados: Leomir, Washington, Deley, Assis e Tato.
(formação do jogo de 7 de agosto de 1983, vitória de 3 a 0 contra o Bangu)

2003: diante de 32.163 pagantes no Maracanã, o Fluminense se despediu do Campeonato Brasileiro com uma vitória por 1 a 0 sobre o Juventude, gol de Marcelo Macedo, de cabeça, aos 43 minutos do primeiro tempo. A vitória na última rodada da competição garantiu a permanência do Tricolor na Série A.

****

Aniversariante do dia:

José Geraldo de Nazaré Teixeira, o Geraldinho (1955), ponta-direita revelado pelo Fluminense, campeão carioca juvenil em 1975. Disputou partidas no time profissional tricolor entre as temporadas de 1974 e 1979, tendo participado da conquista do Campeonato Carioca de 1976.

PCFilho

Flamengo pode ser excluído da Libertadores devido aos incidentes da semana

Foto: flagrante de um torcedor agredido no entorno do Maracanã.

O Clube de Regatas do Flamengo está classificado para a Copa Libertadores de 2018, por ter obtido uma das vagas do Campeonato Brasileiro. No entanto, a participação do clube carioca na competição continental está ameaçada pelos lamentáveis incidentes ocorridos nesta semana, no Rio de Janeiro, por ocasião da realização da partida final da Copa Sul-Americana, contra o Independiente, da Argentina.

De acordo com o Regulamento Disciplinar da Conmebol, o Flamengo infringiu diversos princípios de conduta da entidade, a que todos os clubes e seus membros devem se submeter. Entre os comportamentos desrespeitados pelo clube rubro-negro, listados no quinto artigo no documento da Confederação Sul-Americana, estão: "comportar-se de maneira ofensiva ou insultante", "violar as pautas mínimas do que se considere como um comportamento aceitável no âmbito do esporte e do futebol organizado" e "cometer um ato de violência ou agressão".

E não será possível escapar da culpa pelo comportamento do público, pois o sexto artigo do Regulamento Disciplinar da Conmebol é claro ao responsabilizar os clubes: "as associações membro e os clubes são responsáveis pelo comportamento de seus jogadores, oficiais, membros, público assistente, torcedores, assim como de qualquer outra pessoa que exerça ou possa exercer em seu nome qualquer função, com ocasião dos preparativos, organização ou celebração de uma partida de futebol, seja de caráter oficial ou amistoso".

O sexto artigo ainda tem um segundo parágrafo, que pode complicar a situação do Flamengo: "as associações nacionais e os clubes são responsáveis pela segurança e pela ordem tanto no interior como nas imediações do estádio, antes, durante e depois da partida da qual sejam anfitriões ou organizadores. Esta responsabilidade se estende a todos os incidentes de qualquer natureza que possam se suceder, encontrando-se assim expostos à imposição das sanções disciplinares e do cumprimento das ordens e instruções que possam ser adotadas pelos órgãos disciplinares".

As punições variam de acordo com o julgamento das infrações: o clube pode ser somente advertido ou multado, obrigado a jogar de portões fechados ou em outro país, ou até ser excluído de competições presentes ou futuras, e proibido de realizar transferências de atletas.

As confusões da semana começaram já na véspera da partida, com centenas de torcedores do Flamengo tentando perturbar o descanso da delegação do Independiente, nos arredores do hotel em que os argentinos estavam hospedados. No dia do jogo, também houve conflitos de diversas naturezas, antes, durante e depois da realização da partida, no entorno e no interior do Maracanã. Numa situação que ficou obviamente fora de controle, houve até invasão de torcedores em um dos setores do estádio.

Vale lembrar que há o agravante de o Flamengo ser reincidente nos tumultos: somente este ano, aconteceram episódios similares em pelo menos outras duas partidas do clube no Maracanã. Esta situação pode colaborar para que as punições sejam mais severas.

Caso o Flamengo seja punido com a exclusão da Copa Libertadores de 2018, outros clubes brasileiros serão beneficiados, sendo os herdeiros naturais da vaga do clube carioca na competição. O Vasco obteria uma vaga na fase de grupos, o Atlético Mineiro entraria na fase preliminar, e o Sport Recife ganharia uma vaga na Copa Sul-Americana.

Naturalmente, o Flamengo também está sujeito a diversas punições pelas Leis brasileiras, especialmente por ter exposto o público da partida a situações perigosas, como a superlotação do estádio.

Estaremos de olho, para conferir os próximos capítulos desta triste situação.

PCFilho

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

História - Real Madrid x Times Brasileiros

Flagrante de Real Madrid x Fluminense, vitória tricolor em 1985, na Espanha.

Ao longo dos anos, o poderoso Real Madrid, da Espanha, já enfrentou times do Brasil 38 vezes, com 15 vitórias, 10 empates e 13 derrotas, 69 gols marcados e 61 gols sofridos. Entre os adversários, estão alguns dos grandes clubes brasileiros, mas também times de menor expressão, como o Cruzeiro de Porto Alegre e a Portuguesa do Rio de Janeiro.

Os adversários brasileiros do Real Madrid até hoje foram os seguintes:
- Botafogo: 3 jogos, 3 empates, 4 gols-pró, 4 gols-contra;
- Cruzeiro de Porto Alegre: 1 jogo, 1 empate, 0 gol-pró, 0 gol-contra;
- Vasco: 9 jogos, 5 vitórias, 2 empates, 2 derrotas, 25 gols-pró, 16 gols-contra;
- Sport Recife: 1 jogo, 1 vitória, 5 gols-pró, 3 gols-contra;
- Santos: 3 jogos, 2 vitórias, 1 derrota, 7 gols-pró, 5 gols-contra;
- Grêmio: 1 jogo, 1 vitória, 4 gols-pró, 1 gol-contra;
- São Paulo: 6 jogos, 2 empates, 4 derrotas, 3 gols-pró, 12 gols-contra;
- Corinthians: 2 jogos, 2 empates, 3 gols-pró, 3 gols-contra;
- Palmeiras: 3 jogos, 1 vitória, 2 derrotas, 4 gols-pró, 7 gols-contra;
- Portuguesa do Rio: 1 jogo, 1 derrota, 1 gol-pró, 2 gols-contra;
- Cruzeiro: 1 jogo, 1 vitória, 2 gols-pró, 0 gol-contra;
- Flamengo: 3 jogos, 1 vitória, 2 derrotas, 3 gols-pró, 5 gols-contra;
- Fluminense: 2 jogos, 1 vitória, 1 derrota, 2 gols-pró, 2 gols-contra;
- Vitória: 1 jogo, 1 vitória, 5 gols-pró, 1 gol-contra;
- Portuguesa de São Paulo: 1 jogo, 1 vitória, 1 gol-pró, 0 gol-contra.

Segue abaixo a lista com os resultados de todos os jogos do Real Madrid contra equipes brasileiras ao longo da história:
19/07/1952 - Botafogo 2 x 2 Real Madrid - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
29/07/1952 - Botafogo 0 x 0 Real Madrid - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
08/11/1953 - Real Madrid 0 x 0 Cruzeiro de Porto Alegre - Chamartín (Madrid, Espanha) (*)
15/05/1955 - Real Madrid 2 x 2 Botafogo - Santiago Bernabéu (Madrid, Espanha)
31/05/1956 - Real Madrid 4 x 2 Vasco - Santiago Bernabéu (Madrid, Espanha)
01/07/1956 - Vasco 2 x 5 Real Madrid - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
18/07/1956 - Vasco 2 x 2 Real Madrid - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
20/07/1956 - Vasco 2 x 0 Real Madrid - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
18/05/1957 - Real Madrid 5 x 3 Sport Recife - Santiago Bernabéu (Madrid, Espanha)
14/06/1957 - Real Madrid 3 x 4 Vasco - Parc des Princes (Paris, França)
17/06/1959 - Real Madrid 5 x 3 Santos - Santiago Bernabéu (Madrid, Espanha)
08/02/1961 - Vasco 2 x 2 Real Madrid - Maracanã (Rio de Janeiro, Brasil)
24/05/1961 - Real Madrid 4 x 1 Grêmio - Stade de La Meinau (Strasbourg, França)
23/08/1963 - São Paulo 2 x 1 Real Madrid - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
28/08/1963 - São Paulo 0 x 0 Real Madrid - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
30/03/1966 - Real Madrid 1 x 0 Vasco - Stade Ahmed Zabana (Oran, Argélia)
03/09/1966 - Real Madrid 1 x 1 Corinthians [PK 3 x 2] - Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)
02/09/1967 - Real Madrid 6 x 1 Vasco - Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)
24/08/1969 - Real Madrid 1 x 2 São Paulo - Estádio Colombino (Huelva, Espanha)
31/08/1969 - Real Madrid 0 x 2 Palmeiras - Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)
04/09/1969 - Real Madrid 1 x 2 Portuguesa do Rio - Santiago Bernabéu (Madrid, Espanha)
31/08/1975 - Real Madrid 1 x 3 Palmeiras - Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)
15/08/1976 - Real Madrid 2 x 0 Cruzeiro - Riazor (La Coruña, Espanha)
13/08/1978 - Real Madrid 2 x 0 Flamengo - Riazor (La Coruña, Espanha)
19/08/1978 - Real Madrid 1 x 2 Flamengo - Luis Sitjar (Palma de Mallorca, Espanha)
11/08/1985 - Real Madrid 0 x 2 Fluminense - Riazor (La Coruña, Espanha)
03/08/1986 - Real Madrid 2 x 0 Fluminense - Estádio Municipal (La Línea de La Concepción, Espanha)
10/08/1986 - Real Madrid 1 x 1 São Paulo [PK 3 x 2] - Riazor (La Coruña, Espanha)
28/08/1992 - Real Madrid 0 x 4 São Paulo - Ramón de Carranza (Cádiz, Espanha)
31/08/1994 - Real Madrid 3 x 2 Palmeiras - Santiago Bernabéu (Madrid, Espanha)
15/06/1996 - São Paulo 3 x 0 Real Madrid - Pacaembu (São Paulo, Brasil)
20/06/1996 - Santos 2 x 0 Real Madrid - Vila Belmiro (Santos, Brasil)
15/08/1997 - Real Madrid 0 x 3 Flamengo - Luis Sitjar (Palma de Mallorca, Espanha)
17/08/1997 - Real Madrid 5 x 1 Vitória - Luis Sitjar (Palma de Mallorca, Espanha)
27/08/1997 - Real Madrid 1 x 0 Portuguesa de São Paulo - Santiago Bernabéu (Madrid, Espanha)
01/12/1998 - Real Madrid 2 x 1 Vasco - Estádio Olímpico (Tóquio, Japão)
07/01/2000 - Corinthians 2 x 2 Real Madrid - Morumbi (São Paulo, Brasil)
05/09/2000 - Real Madrid 2 x 0 Santos - Santiago Bernabéu (Madrid, Espanha)
16/12/2017 - Grêmio x Real Madrid - Zayed Sports City Stadium (Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos)

(*) Até 1954, o atual Estádio Santiago Bernabéu era chamado de Chamartín.

PCFilho

Palpites da Loteca - Concurso 778



Amigos e amigas, seguem abaixo os porcentuais estimados de apostas nas 14 partidas que compõem o concurso número 778 da Loteca. Nos parênteses ao lado de cada jogo, há três porcentuais: o primeiro refere-se às apostas na vitória do time mandante, o segundo refere-se às apostas no empate, e o terceiro refere-se às apostas na vitória do time visitante:
1) OGC Nice x Bordeaux (60% 25% 15%)
2) Manchester City x Tottenham (75% 15% 10%)
3) Barcelona x Deportivo La Coruña (90% 5% 5%)
4) Red Bull Leipzig x Hertha Berlin (60% 30% 10%)
5) Tondela x Benfica (10% 20% 70%)
6) Sporting Lisboa x Portimonense (90% 5% 5%)
7) Bologna x Juventus (5% 15% 80%)
8) Roma x Cagliari (90% 5% 5%)
9) West Bromwich Albion x Manchester United (5% 15% 80%)
10) Olympique Lyon x Olympique Marseille (50% 35% 15%)
11) Eibar x Valencia (10% 20% 70%)
12) Borussia Dortmund x Hoffenheim (65% 25% 10%)
13) Sporting Braga x Belenenses (80% 15% 5%)
14) Atalanta x Lazio (20% 35% 45%)

Os porcentuais são a base do método que explico no e-book "Um método inteligente para apostar na Loteca", detalhando minuciosamente a estratégia que desenvolvi para a loteria esportiva. Interessados, por favor entrar em contato por e-mail: pcfilho@gmail.com, ou nos comentários abaixo. Ainda é possível adquirir o e-book com desconto.

As apostas neste concurso 778 da Loteca podem ser registradas até as 14:00 de Brasília do sábado 16, em qualquer casa lotérica do território brasileiro. De acordo com a Caixa Econômica Federal, a estimativa de prêmio para um ganhador único com 14 acertos é de R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais). Os rateios das premiações para as faixas de 14 e 13 acertos serão divulgados pela Caixa em seu site, na tarde da segunda-feira 18.

Vocês concordam com os porcentuais acima? Discordam deles? Qual será a grande zebra do concurso 778? Qual é a aposta ideal para abocanhar o prêmio deste concurso da Loteca? Será um prazer receber os seus comentários abaixo!

Muito obrigado a todos vocês pelo prestígio a este blog Jornalheiros, e boa sorte rumo aos 14 acertos! Apostem com moderação!

PCFilho

Efemérides tricolores - 13 de dezembro


1908: o corretor de fundos públicos pernambucano Antônio Vaz de Carvalho Júnior foi eleito, com 21 votos, o terceiro presidente do Fluminense, em assembleia geral realizada na sede do clube, em Laranjeiras. Ele seria reeleito em 1909, e permaneceria ao todo dois anos no cargo. No mesmo dia, o presidente Francis Walter, que encerrava seu mandato, foi aclamado Presidente Honorário do Fluminense.
Antônio Vaz de Carvalho Júnior
(foto do site do Fluminense).

1952: em partida válida pelo returno do Campeonato Carioca, diante de 30.336 presentes (23.049 pagantes) no Estádio do Maracanã, o Fluminense ganhou por 3 a 1 do Botafogo. Os gols dos campeões mundiais foram marcados por Marinho (dois) e Didi (cobrando falta colocada, por cima da barreira), cabendo a Rubem Bravo a autoria do gol dos alvinegros.

1953: em jogo disputado no Maracanã, válido pelo terceiro turno do Campeonato Carioca, o Fluminense derrotou o America por 2 a 0, gols de Paraguaio e Telê. O goleiro tricolor Veludo defendeu um pênalti cobrado por Ivan, no segundo tempo. A partida foi acompanhada por 30.340 presentes (23.145 pagantes).

1958: na rodada final do Campeonato Carioca, na Gávea, o Fluminense ganhou por 3 a 1 do Canto do Rio, graças aos gols de Escurinho, Waldo e Floriano (contra). O Tricolor terminou a competição em quarto lugar, com dois pontos a menos que os rivais Botafogo, Flamengo e Vasco, que disputariam a seguir o supercampeonato (que também terminaria empatado) e o supersupercampeonato (que o Vasco venceria, já em janeiro de 1959). A torcida do Fluminense voltaria a sorrir no ano seguinte, com o clube voltando a conquistar o título do Rio de Janeiro, em campanha sensacional (vide 12 de dezembro).

1962: em jogo amistoso no Maracanã, o Fluminense perdeu por 1 a 0 para a Seleção Olímpica da União Soviética. Aquele país vivia grande fase no futebol - havia conquistado a primeira Eurocopa dois anos antes, vencendo a Iugoslávia na decisão.

1964: no fechamento da última rodada do Campeonato Carioca, o Botafogo derrotou o Flamengo por 1 a 0, resultado que eliminou o rival rubro-negro da competição, deixando o Fluminense e o Bangu empatados na primeira posição (o Fluminense havia vencido o São Cristóvão por 2 a 0, em 10 de dezembro). Os dois líderes disputariam o título de campeão do Rio de Janeiro em duas partidas (vide 16 e 20 de dezembro).

1970: na primeira rodada do quadrangular final do Campeonato Brasileiro, o Fluminense derrotou o Palmeiras por 1 a 0, diante de 50.421 pagantes no Maracanã. O gol da vitória tricolor foi anotado aos 34 minutos do primeiro tempo, pelo centroavante Mickey, que substituía o artilheiro Flávio, lesionado. Com o empate no clássico de Belo Horizonte (Cruzeiro 1 x 1 Atlético Mineiro), o Fluminense já assumia a liderança do quadrangular. Na segunda rodada, o Tricolor enfrentaria o Cruzeiro, no Mineirão (vide 16 de dezembro), e na última, receberia o Atlético Mineiro, no Maracanã (vide 20 de dezembro). A Taça de Prata começava a sorrir, com a encantadora possibilidade de envelhecer na rua Álvaro Chaves...

1979: em jogo amistoso, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, o Fluminense ganhou por 2 a 1 do Figueirense, graças aos gols de Carlinhos e Mário Marques.

1992: no segundo jogo da decisão da Copa do Brasil, o Fluminense perdeu por 1 a 0 para o Internacional, diante de 32.722 pagantes no Beira-Rio, em Porto Alegre, terminando vice-campeão, devido ao critério de desempate do gol fora de casa. O gol colorado foi marcado por Célio Silva, nos minutos finais, na cobrança de um pênalti inventado pelo árbitro José Aparecido de Oliveira. Uma pena: a Copa do Brasil precisaria esperar 15 anos para ter a honra de ver o Fluminense entre seus campeões (vide 6 de junho).

1994: no primeiro jogo da final da Copa Rio de Janeiro, no Raulino de Oliveira, o Fluminense venceu o Volta Redonda por 4 a 1, graças aos gols de Wallace, Eduardo Souza (de falta), Djair (de falta) e Welton. A segunda partida aconteceria dois dias depois, no Estádio de Laranjeiras (vide 15 de dezembro).

1998: o Fluminense venceu o Botafogo de Macaé por 1 a 0, gol de Gabriel Lima, aos 44 minutos do segundo tempo, na primeira partida da semifinal da Copa Rio de Janeiro, no Estádio Expedicionário, em Macaé. Com um time de jovens, o Fluminense começava a reconstrução de seu elenco, após a queda para a Série C: os garotos tricolores conquistariam o título nos dias seguintes (vide 15 e 19 de dezembro).

****

Aniversariante do dia:

Ricardo Gomes Raymundo, o Ricardo Gomes (1964), um dos melhores zagueiros da história do Fluminense, frequentemente escalado em seleções tricolores de todos os tempos. Entre as temporadas de 1983 e 1988, marcou 11 gols em 201 partidas com a camisa do Fluminense. Participou das conquistas do Campeonato Carioca de 1983, do Campeonato Brasileiro de 1984, do Torneio de Seul em 1984, do bicampeonato Carioca em 1984 e do tricampeonato Carioca em 1985. Na Seleção Brasileira, teve vitoriosa passagem, marcando 4 gols em 45 partidas oficiais pela Seleção principal, e conquistando a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Indianápolis (1987), a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Seul (1988) e o título da Copa América (1989), e disputando a Copa do Mundo de 1990 como capitão (foi convocado também em 1994, mas acabou cortado devido a uma lesão). Após pendurar as chuteiras, Ricardo Gomes fez carreira como treinador, e esteve no comando técnico do Fluminense na temporada de 2004.


PCFilho

Xadrez - Mate em 20! (William Bone)

William Bone, English Chess Problems, 1876.
Código FEN: 2n4k/2KB1ppp/1p3p2/p5Q1/4p1N1/Pbpr4/1Br3PR/1n1q4 w - - 0 1.

As Brancas jogam e dão xeque-mate em 20 lances!

(White to play and give checkmate in 20 moves!)

PCFilho

História - Grêmio em Mundiais de Clubes


Em Mundiais de Clubes, o Grêmio acumula 3 partidas, com 3 empates no tempo normal (2 vitórias e 1 empate na prorrogação, e 1 derrota na disputa de pênaltis). Na Copa Intercontinental de 1983, foi campeão, vencendo o jogo único contra o Hamburgo, da Alemanha Ocidental, na prorrogação; na Copa Intercontinental de 1995, foi vice-campeão, perdendo o jogo único para o Ajax, da Holanda, na disputa de pênaltis; no Mundial da FIFA de 2017, venceu o Pachuca, do México, na semifinal, e está na decisão.

I) Copa Toyota Intercontinental 1983 (campeão)

11/12/1983 - Grêmio 2 x 1 Hamburgo - Estádio Nacional (Tóquio, Japão)
Motivo: Copa Toyota Intercontinental 1983, jogo único.
Público: 62.000 presentes.
Árbitro: Michel Vautrot (França).
Auxiliares: Toshikazu Sano (Japão) e Shizuhasu Nakamichi (Japão).
Grêmio (Brasil): Mazarópi; Paulo Roberto, Baidek, Hugo de León [capitão] e Paulo César Magalhães; China, Osvaldo (Paulo Bonamigo, aos 33 do 2° tempo) e Mário Sérgio; Renato Gaúcho, Tarciso e Paulo Cézar Caju (Caio, aos 25 do 2° tempo). Técnico: Valdyr Espinosa.
Hamburgo (Alemanha Ocidental): Uli Stein; Bernd Wehmeyer, Ditmar Jakobs e Holger Hieronymus; Michael Schröder, Jürgen Groh, Wolfgang Rolff, William Hartwig e Felix Magath [capitão]; Wolfram Wuttke e Allan Hansen. Técnico: Ernst Happel. 
Gols:
1-0: Renato Gaúcho, aos 38 do 1° tempo;
1-1: Michael Schröder, aos 40 do 2° tempo;
2-1: Renato Gaúcho, aos 3 do 1º tempo da prorrogação.
Cartões amarelos: Uli Stein, aos 28 do 2º tempo; Mazarópi, aos 30 do 2º tempo; Caio, aos 36 do 2º tempo; Renato Gaúcho, aos 13 do 1º tempo da prorrogação; William Hartwig, aos 14 do 1º tempo da prorrogação; Hugo de León, aos 8 do 2º tempo da prorrogação.
Observação: apesar de o jogo ter durado 120 minutos, o treinador austríaco Ernst Happel, do Hamburgo, não fez mesmo nenhuma substituição - ele só tinha quatro jogadores no banco de reservas (o goleiro Uwe Hain, o zagueiro Dieter Brefort e os atacantes Thomas von Heesen e Dieter Schatzschneider, estes dois últimos lesionados).

****

II) Copa Toyota Intercontinental 1995 (vice-campeão)

28/11/1995 - Ajax 0 x 0 Grêmio [PK 4 x 3] - Estádio Nacional (Tóquio, Japão)
Motivo: Copa Toyota Intercontinental 1995, jogo único.
Público: 47.129 presentes.
Árbitro: David Elleray (Inglaterra).
Auxiliares: Jeon Young-Hyun (Coreia do Sul) e Yoshikazu Hiroshima (Japão).
Ajax (Holanda): Edwin van der Sar; Michael Reiziger, Danny Blind [capitão], Frank de Boer e Winston Bogarde; Ronald de Boer, Edgar Davids e Jari Litmanen (Martijn Reuser, aos 4 do 1º tempo da prorrogação); Finidi George, Patrick Kluivert e Marc Overmars (Nwankwo Kanu, aos 23 do 2º tempo). Técnico: Louis van Gaal.
Grêmio (Brasil): Danrlei; Francisco Arce, Catalino Rivarola, Adílson [capitão] e Roger Machado; Dinho, Luís Carlos Goiano, Arílson (Luciano Williames, aos 16 do 2º tempo) e Carlos Miguel (Gélson, aos 7 do 1º tempo da prorrogação); Paulo Nunes e Mário Jardel (Magno, aos 33 do 2º tempo). Técnico: Luiz Felipe Scolari.
Cartões amarelos: Francisco Arce, aos 18 do 1º tempo; Luís Carlos Goiano, aos 43 do 1º tempo; Catalino Rivarola, aos 8 do 2º tempo; Arílson, aos 9 do 2º tempo; Nwankwo Kanu, aos 25 do 2º tempo; Gélson, aos 4 do 2º tempo da prorrogação; Edgar Davids, aos 8 do 2º tempo da prorrogação.
Cartão vermelho: Catalino Rivarola, aos 11 do 2º tempo.
Observação: após os noventa minutos regulamentares, houve prorrogação de trinta minutos, e o empate em 0 a 0 persistiu.
Definição por pênaltis (Ajax 4 x 3 Grêmio):
1ª cobrança: Dinho chutou e Edwin van der Sar defendeu (0-0);
2ª cobrança: Patrick Kluivert chutou para fora (0-0);
3ª cobrança: Francisco Arce chutou na trave (0-0);
4ª cobrança: Ronald de Boer converteu (1-0);
5ª cobrança: Magno converteu (1-1);
6ª cobrança: Frank de Boer converteu (2-1);
7ª cobrança: Gélson converteu (2-2);
8ª cobrança: Finidi George converteu (3-2);
9ª cobrança: Adílson converteu (3-3);
10ª cobrança: Danny Blind converteu (4-3).

****

III) Mundial de Clubes da FIFA 2017 (em andamento)
Foto: Lucas Uebel (Grêmio).

12/12/2017 - Grêmio 1 x 0 Pachuca - Hazza bin Zayed (Al Ain, Emirados Árabes Unidos)
Motivo: Mundial de Clubes da FIFA 2017, semifinal.
Público: 6.428 presentes.
Árbitro: Felix Brych (Alemanha).
Auxiliares: Mark Borsch (Alemanha) e Stefan Lupp (Alemanha).
Grêmio (Brasil): Marcelo Grohe; Edilson (Léo Moura, no intervalo para a prorrogação), Pedro Geromel [capitão], Kannemann e Bruno Cortez; Michel (Éverton, aos 26 do 2º tempo), Jailson, Ramiro e Fernandinho (Thyere, aos 11 do 2º tempo da prorrogação); Luan e Lucas Barrios (Jael, aos 9 do 2º tempo). Técnico: Renato Gaúcho.
Pachuca (México): Óscar Pérez [capitão]; Joaquín Martínez, Omar González, Óscar Murillo e Emmanuel García (Ángelo Sagal, aos 10 do 1º tempo da prorrogação); Jorge Hernández, Keisuke Honda, Victor Guzmán e Erick Aguirre (Erick Sánchez, aos 21 do 2º tempo); Jonathan Urretaviscaya (Germán Cano, no intervalo da prorrogação) e Franco Jara (Robert Herrera, no intervalo para a prorrogação). Técnico: Diego Alonso.
Gol:
1-0: Éverton, aos 4 do 1º tempo da prorrogação.
Cartões amarelos: Kannemann, aos 22 do 1º tempo; Victor Guzmán, aos 33 do 1º tempo; Ramiro, aos 5 do 2º tempo; Emmanuel García, aos 38 do 2º tempo; Jorge Hernández, aos 14 do 1º tempo da prorrogação; Jael, aos 7 do 2º tempo da prorrogação.
Cartão vermelho: Victor Guzmán, aos 4 do 2º tempo da prorrogação.

(...)

PCFilho

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Efemérides tricolores - 12 de dezembro


1920: em partida válida pelo returno do Campeonato Carioca, no campo da rua Paysandu, o Fluminense ganhou por 3 a 2 do Mangueira, graças aos gols de Zezé, Moura Costa e Machado.

1929: em jogo amistoso, em beneficio das crianças pobres, o Fluminense derrotou o Vasco por 2 a 1, em São Januário, com dois gols do centroavante Alfredinho, e Mário Mattos descontando para os anfitriões. A vitória tricolor foi um "carimbo na faixa" do Vasco, que havia conquistado o Campeonato Carioca após final contra o America. O clássico também serviu de tira-teima para os confrontos do ano, que terminou com duas vitórias do Fluminense contra uma do Vasco.

1937: em partida válida pela segunda rodada do returno do Campeonato Carioca, o Fluminense ganhou por 3 a 2 do Bonsucesso, em Teixeira de Castro. Os gols tricolores foram de Hércules (dois, um deles às vezes creditado como gol-contra de Álvaro) e Alfredinho. Com campanha de onze vitórias, um empate e uma derrota, o time do Fluminense seguia firme rumo à conquista do bicampeonato do Rio de Janeiro.

1943: na primeira das cinco partidas da decisão do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, a Seleção Carioca perdeu por 3 a 1 para a Seleção Paulista, de virada. O escrete do Distrito Federal atuou com a seguinte formação: Batatais [Fluminense]; Domingos da Guia [Flamengo] e Laranjeiras [Canto do Rio]; Biguá [Flamengo], Rui Campos [Fluminense] e Jayme de Almeida [Flamengo]; Pedro Amorim [Fluminense], Ademir Menezes [Vasco], Pirillo [Flamengo], Perácio [Flamengo] e Vevé [Flamengo]. Pirillo abriu o placar para os cariocas, cobrando pênalti; os paulistas viraram com gols de Leônidas e Luizinho (dois). A segunda partida da final aconteceria três dias depois, novamente no Pacaembu (vide 15 de dezembro).

1948: em partida válida pelo returno do Campeonato Carioca, em Figueira de Melo, o Fluminense venceu o São Cristóvão por 5 a 1. Os gols tricolores foram de Orlando Pingo de Ouro (quatro, um deles de pênalti) e Santo Cristo (de cabeça).

1954: em jogo válido pelo segundo turno do Campeonato Carioca, o Fluminense ganhou por 5 a 3 do Canto do Rio, no Estádio Caio Martins, em Niterói. Didi, Marinho, Javier Ambrois (dois) e Róbson marcaram os gols da vitória tricolor.

1959: o Fluminense conquistou o Campeonato Carioca com uma rodada de antecipação, graças à vitória por 2 a 0 sobre o Madureira, gols de Décio Brito (contra) e Escurinho, diante de 40.302 presentes (34.795 pagantes) no Maracanã. Sob a batuta de Zezé Moreira, o Fluminense atuou com: Castilho; Jair Marinho, Pinheiro e Altair; Edmilson e Clóvis; Maurinho, Paulinho Omena, WaldoTelê e Escurinho. É o time mais identificado com o Fluminense em todos os tempos: estão presentes os cinco jogadores com mais atuações na história do clube (na ordem, Castilho, Pinheiro, Telê, Altair e Escurinho), além de Waldo, o maior artilheiro. Com a sensacional campanha de 17 vitórias, 3 empates e 1 derrota, 42 gols marcados e somente 6 gols sofridos nos 21 jogos, o Fluminense não poderia mais ser alcançado por nenhum rival: é campeão!
O Fluminense campeão carioca de 1959.
Em pé: Zezé Moreira, Clóvis, Jair Marinho, Edmilson, Altair, Castilho e Pinheiro.
Agachados: Maurinho, Paulinho Omena, Waldo, Telê e Escurinho.

1971: em jogo amistoso, disputado no Maracanã, o Fluminense derrotou o Flamengo por 4 a 1, graças aos gols de Silveira, Mickey (dois) e Marco Antônio.

1999: no segundo jogo do quadrangular final da Série C do Campeonato Brasileiro, no Vivaldão, em Manaus, o Fluminense empatou em 0 a 0 com o São Raimundo, mas ganharia os pontos devido à escalação irregular de um atleta pelo adversário. Nas semanas seguintes, o Tricolor conquistaria o título, e em breve retornaria a seu habitat, a elite do futebol nacional.

****

Aniversariantes do dia:

Adílson Ferreira Arantes, o Adilson (1916), ponta-direita com 23 gols marcados em 89 jogos pelo Fluminense, entre as temporadas de 1940 e 1945. Participou das conquistas dos Campeonatos Cariocas de 1940 e 1941, e do Torneio Oscar Cox em 1941.

Eurico Oliveira Filho (1931), jogador de futebol de salão do Fluminense nas décadas de 1950 e 1960, que atuava como ala-esquerdo.

Luís Eduardo Quadros Lima, o Luís Eduardo (1961), zagueiro com 49 atuações pelo time profissional do Fluminense, entre as temporadas de 1993 e 1994.

Édson Santana de Souza, o Édson Souza (1964), meio-campista com 12 gols marcados em 99 partidas pelo Fluminense, entre as temporadas de 1984 e 1987. Participou das conquistas do Campeonato Brasileiro de 1984, do Campeonato Carioca de 1985, da Copa Kirin de 1987 e do Torneio de Paris de 1987.

Luiz Marcelo Lima Machado, o Luiz Marcelo (1969), zagueiro com 2 gols marcados em 31 jogos pelo Fluminense na temporada de 1992, ano em que participou da campanha do vice-campeonato da Copa do Brasil.

PCFilho

Brasileirão 2017 - médias de público

Torcida no Maracanã, no jogo Fluminense x Atlético Goianiense.

Abaixo, está a lista com as médias de público pagante por jogo, dos vinte times do Campeonato Brasileiro de 2017. Naturalmente, os números se referem aos públicos dos clubes nos jogos em que foram mandantes. A maior média foi a do campeão Corinthians, com 40.007 torcedores por jogo.

1º. Corinthians – 40.007 
2º. São Paulo – 35.228
3º. Palmeiras – 29.660
4º. Bahia – 21.541
5º. Grêmio – 19.728
6º. Vasco – 15.031
7º. Cruzeiro – 14.522
8º. Flamengo – 14.484
9º. Fluminense – 14.432
10º. Coritiba – 14.348
11º. Atlético Paranaense – 13.732
12º. Atlético Mineiro – 13.372
13º. Sport Recife – 13.339
14º. Santos – 11.585
15º. Vitória – 10.911
16º. Botafogo – 10.194
17º. Chapecoense – 9.678
18º. Avaí – 7.568
19º. Ponte Preta – 6.084
20º. Atlético Goianiense – 5.047

Por estado do país, as médias foram as seguintes:
1º. SP – 24.513
2º. RS – 19.728
3º. BA – 16.226
4º. PR – 14.040
5º. MG – 13.947
6º. RJ – 13.535
7º. PE – 13.339
8º. SC – 8.623
9º. GO – 5.047

PCFilho

Xadrez - Mate em 5! (jogador misterioso)

Jogador misterioso vs Nigel Short, internet, outubro de 2000.
Código FEN: 3q4/1R6/2p2pk1/2Pp4/P2PpPP1/2B2nK1/8/1R6 w - - 0 1.

As Brancas jogam e dão xeque-mate em 5 lances!

(White to play and give checkmate in 5 moves!)

Esta posição foi alcançada em uma partida espetacular [analisada neste vídeo em português], por um jogador misterioso contra o grande-mestre Nigel Short, um dos melhores enxadristas do mundo. Como este jogador venceu oito jogos consecutivos contra Short, houve rumores de que era o lendário Bobby Fischer, antigo campeão mundial, que estava então aposentado do xadrez. A identidade do jogador misterioso nunca foi confirmada.

(This position was reached in a spectacular game [analyzed in this video in Portuguese], by a mysterious player against grandmaster Nigel Short, one of the best chess players in the world. As this player won eight consecutive games against Short, there were rumors that it was the legendary Bobby Fischer, former world champion, who was then retired from chess. The mysterious player's identity was never confirmed.)

PCFilho

Xadrez - Mate em 2! (Peter Gvozdják)

Peter Gvozdják, Sochi Olympic Tourney, 2014.
Código FEN: 1K6/1p3p2/5R1Q/B2nkB1P/2P2R2/1N1pr3/8/1q5r w - - 0 1.

As Brancas jogam e dão xeque-mate em 2 lances!

(White to play and give checkmate in 2 moves!)


PCFilho

História - Independiente x Times Brasileiros


Ao longo da história, o clube argentino Independiente de Avellaneda já enfrentou times brasileiros 109 vezes, totalizando 35 vitórias, 21 empates e 53 derrotas, 145 gols-pró e 183 gols-contra.

Os adversários brasileiros enfrentados pelo Independiente de Avellaneda foram os seguintes:
- Cruzeiro: 15 jogos, 5 vitórias, 1 empate e 9 derrotas, 17 gols-pró e 21 gols-contra;
- Flamengo: 15 jogos, 4 vitórias, 4 empates e 7 derrotas, 22 gols-pró e 36 gols-contra;
- Santos: 13 jogos, 6 vitórias, 3 empates e 4 derrotas, 23 gols-pró e 19 gols-contra;
- Grêmio: 12 jogos, 3 vitórias, 3 empates e 6 derrotas, 7 gols-pró e 18 gols-contra;
- Palmeiras: 11 jogos, 1 vitória, 0 empate e 10 derrotas, 9 gols-pró e 29 gols-contra;
- São Paulo: 8 jogos, 4 vitórias, 1 empate e 3 derrotas, 8 gols-pró e 6 gols-contra;
- Corinthians: 6 jogos, 3 vitórias, 0 empate e 3 derrotas, 7 gols-pró e 6 gols-contra;
- Vasco: 5 jogos, 2 vitórias, 1 empate e 2 derrotas, 10 gols-pró e 10 gols-contra;
- Internacional: 5 jogos, 1 vitória, 3 empates e 1 derrota, 11 gols-pró e 12 gols-contra;
- Botafogo: 3 jogos, 1 vitória, 1 empate e 1 derrota, 9 gols-pró e 4 gols-contra;
- Goiás: 2 jogos, 1 vitória, 0 empate e 1 derrota, 3 gols-pró e 3 gols-contra;
- Chapecoense: 2 jogos, 0 vitória, 2 empates e 0 derrota, 0 gol-pró e 0 gol-contra;
- Atlético Mineiro: 2 jogos, 0 vitória, 0 empate e 2 derrotas, 2 gols-pró e 5 gols-contra;
- América MG: 1 jogo, 1 vitória, 0 empate e 0 derrota, 3 gols-pró e 2 gols-contra;
- Fluminense: 1 jogo, 1 vitória, 0 empate e 0 derrota, 4 gols-pró e 1 gol-contra;
- Santa Cruz: 1 jogo, 0 vitória, 1 empate e 0 derrota, 1 gol-pró e 1 gol-contra;
- America: 1 jogo, 0 vitória, 0 empate e 1 derrota, 0 gol-pró e 1 gol-contra;
- Cruzeiro de Porto Alegre: 1 jogo, 1 vitória, 0 empate e 0 derrota, 3 gols-pró e 0 gol-contra;
- Santo André: 1 jogo, 0 vitória, 0 empate e 1 derrota, 0 gol-pró e 4 gols-contra;
- São Caetano: 1 jogo, 0 vitória, 1 empate e 0 derrota, 2 gols-pró e 2 gols-contra;
- Seleção Carioca Universitária: 1 jogo, 1 vitória, 0 empate e 0 derrota, 4 gols-pró e 0 gol-contra;
- Seleção Pernambucana: 1 jogo, 0 vitória, 0 empate e 1 derrota, 0 gol-pró e 1 gol-contra;
- Seleção Baiana: 1 jogo, 0 vitória, 0 empate e 1 derrota, 0 gol-pró e 2 gols-contra.

Abaixo, está a lista com todos os resultados do Independiente contra equipes brasileiras ao longo dos anos:
21/01/1933 - Independiente 4 x 0 Seleção Carioca Universitária - Brandsen y Del Crucero (Buenos Aires) (*)
19/12/1939 - Vasco 5 x 2 Independiente - São Januário (Rio de Janeiro)
24/12/1939 - Flamengo 3 x 4 Independiente - São Januário (Rio de Janeiro)
31/12/1939 - Flamengo 2 x 1 Independiente - São Januário (Rio de Janeiro)
04/01/1940 - Botafogo 1 x 8 Independiente - São Januário (Rio de Janeiro)
19/01/1940 - Atlético Mineiro 2 x 1 Independiente - Lourdes (Belo Horizonte)
21/01/1940 - América MG 2 x 3 Independiente - Lourdes (Belo Horizonte)
28/01/1940 - Internacional 3 x 3 Independiente - Eucaliptos (Porto Alegre)
30/01/1940 - Grêmio 2 x 1 Independiente - Baixada (Porto Alegre)
01/02/1941 - Independiente 4 x 1 Fluminense - Gasómetro de Boedo (Buenos Aires)
08/02/1941 - Independiente 6 x 5 Flamengo - Gasómetro de Boedo (Buenos Aires)
01/12/1951 - Flamengo 5 x 5 Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)
27/12/1955 - Vasco 1 x 4 Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)
30/12/1955 - Flamengo 3 x 0 Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)
06/12/1956 - Santa Cruz 1 x 1 Independiente - Ilha do Retiro (Recife)
08/12/1956 - Seleção Pernambucana 1 x 0 Independiente - Aflitos (Recife)
09/12/1956 - Seleção Baiana 2 x 0 Independiente - Fonte Nova (Salvador)
02/02/1958 - Botafogo 1 x 1 Independiente - Nacional Flor Blanca (San Salvador, El Salvador)
04/02/1959 - Independiente 0 x 1 America - La Doble Visera (Avellaneda)
27/02/1959 - Internacional 3 x 3 Independiente - Eucaliptos (Porto Alegre)
09/03/1960 - Palmeiras 5 x 1 Independiente - Pacaembu (São Paulo)
01/04/1960 - Independiente 3 x 5 Palmeiras - El Palacio (Buenos Aires)
20/12/1960 - Independiente 3 x 0 Cruzeiro de Porto Alegre - El Palacio (Buenos Aires)
16/02/1961 - Santos 4 x 1 Independiente - Olímpico Universitário (Cidade do México)
04/05/1961 - Independiente 0 x 2 Palmeiras - El Cilindro (Avellaneda)
11/05/1961 - Palmeiras 1 x 0 Independiente - Pacaembu (São Paulo)
01/02/1964 - Independiente 5 x 1 Santos - La Doble Visera (Avellaneda)
12/02/1964 - Independiente 3 x 1 Palmeiras - Nacional (Santiago, Chile)
15/07/1964 - Santos 2 x 3 Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro, Brasil)
22/07/1964 - Independiente 2 x 1 Santos - La Doble Visera (Avellaneda, Argentina)
23/02/1965 - Santos 4 x 0 Independiente - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
14/02/1966 - Independiente 0 x 2 Botafogo - La Doble Visera (Avellaneda, Argentina)
14/07/1968 - Palmeiras 4 x 0 Independiente - Palestra Itália (São Paulo)
14/02/1970 - Vasco 1 x 1 Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)
18/02/1970 - Flamengo 6 x 1 Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)
14/09/1970 - Cruzeiro 3 x 0 Independiente - Colosso da Lagoa (Erechim)
27/04/1972 - São Paulo 1 x 0 Independiente - Morumbi (São Paulo)
04/05/1972 - Independiente 2 x 0 São Paulo -  La Doble Visera (Avellaneda)
25/01/1973 - São Paulo 0 x 1 Independiente - Morumbi (São Paulo)
28/01/1973 - Palmeiras 2 x 0 Independiente - Palestra Itália (São Paulo)
12/10/1974 - São Paulo 2 x 1 Independiente - Pacaembu (São Paulo)
16/10/1974 - Independiente 2 x 0 São Paulo - La Doble Visera (Avellaneda)
19/10/1974 - Independiente 1 x 0 São Paulo - Nacional (Santiago, Chile)
18/03/1975 - Vasco 2 x 1 Independiente - São Januário (Rio de Janeiro)
23/05/1975 - Cruzeiro 2 x 0 Independiente - Mineirão (Belo Horizonte)
06/06/1975 - Independiente 3 x 0 Cruzeiro - La Doble Visera (Avellaneda)
10/03/1976 - Grêmio 3 x 0 Independiente - Olímpico (Porto Alegre)
11/03/1976 - Santo André 4 x 0 Independiente - Distrital do Jaçatuba (Santo André)
18/02/1977 - Grêmio 2 x 0 Independiente - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
20/02/1977 - Cruzeiro 0 x 0 Independiente - Olímpico de la UCV (Caracas, Venezuela)
08/09/1978 - Cruzeiro 2 x 0 Independiente - Memorial Coliseum (Los Angeles, Estados Unidos)
20/02/1979 - Independiente 0 x 4 Grêmio - Gigante de Arroyito (Rosario)
14/01/1981 - Independiente 0 x 0 Grêmio - José María Minella (Mar del Plata)
27/08/1981 - Vasco 1 x 2 Independiente - Vicente Calderón (Madrid, Espanha)
18/11/1981 - Corinthians 2 x 1 Independiente - Revolución Mexicana (Pachuca, México)
24/07/1984 - Grêmio 0 x 1 Independiente - Olímpico (Porto Alegre)
27/07/1984 - Independiente 0 x 0 Grêmio - La Doble Visera (Avellaneda)
20/08/1984 - Internacional 2 x 2 Independiente - Beira-Rio (Porto Alegre)
13/08/1985 - Santos 1 x 1 Independiente [PK 2 x 4] - Dino Manuzzi (Cesena, Itália)
18/02/1986 - Independiente 0 x 1 Corinthians - José María Minella (Mar del Plata)
10/02/1988 - Independiente 1 x 2 Cruzeiro - La Doble Visera (Avellaneda)
25/02/1988 - Cruzeiro 1 x 0 Independiente - Mineirão (Belo Horizonte)
04/10/1989 - Santos 1 x 2 Independiente - Vila Belmiro (Santos)
11/10/1989 - Independiente 2 x 0 Santos - La Doble Visera (Avellaneda)
28/05/1991 - Santos 1 x 0 Independiente - George Capwell (Guayaquil, Equador)
06/10/1993 - São Paulo 2 x 0 Independiente - Morumbi (São Paulo)
13/10/1993 - Independiente 1 x 1 São Paulo - El Cilindro (Avellaneda)
08/09/1994 - Santos 1 x 0 Independiente - Vila Belmiro (Santos)
22/09/1994 - Independiente 4 x 0 Santos - La Doble Visera (Avellaneda)
05/10/1994 - Grêmio 1 x 1 Independiente - Olímpico (Porto Alegre)
12/10/1994 - Independiente 2 x 0 Grêmio - La Doble Visera (Buenos Aires)
19/10/1994 - Cruzeiro 1 x 0 Independiente - Mineirão (Belo Horizonte)
26/10/1994 - Independiente 4 x 0 Cruzeiro - La Doble Visera (Avellaneda)
13/09/1995 - Independiente 1 x 1 Santos - La Doble Visera (Avellaneda)
04/10/1995 - Santos 2 x 2 Independiente [PK 2 x 3] - Vila Belmiro (Santos)
29/11/1995 - Independiente 2 x 0 Flamengo - La Doble Visera (Avellaneda)
06/12/1995 - Flamengo 1 x 0 Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)
07/04/1996 - Grêmio 4 x 1 Independiente - Kobe Universiade Memorial Stadium (Kobe, Japão)
11/09/1996 - Independiente 0 x 0 Flamengo - La Doble Visera (Avellaneda)
25/09/1996 - Flamengo 1 x 0 Independiente - Mané Garrincha (Brasília)
25/09/1997 - Cruzeiro 2 x 1 Independiente - Mineirão (Belo Horizonte)
29/10/1997 - Independiente 3 x 1 Cruzeiro - La Doble Visera (Avellaneda)
29/07/1998 - Palmeiras 2 x 1 Independiente - Morumbi (São Paulo)
16/09/1998 - Independiente 0 x 3 Palmeiras - La Doble Visera (Avellaneda)
28/07/1999 - Corinthians 1 x 2 Independiente - Pacaembu (São Paulo)
11/08/1999 - Grêmio 2 x 0 Independiente - Olímpico (Porto Alegre)
28/09/1999 - Independiente 2 x 0 Corinthians - La Doble Visera (Avellaneda)
05/10/1999 - Independiente 1 x 0 Grêmio - La Doble Visera (Avellaneda)
02/11/1999 - Independiente 1 x 1 Flamengo - La Doble Visera (Avellaneda)
05/11/1999 - Flamengo 4 x 0 Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)
08/08/2000 - Cruzeiro 3 x 0 Independiente - Mineirão (Belo Horizonte)
30/08/2000 - Independiente 1 x 2 Palmeiras - La Doble Visera (Avellaneda)
19/09/2000 - Independiente 2 x 0 Cruzeiro - La Doble Visera (Avellaneda)
27/09/2000 - Palmeiras 2 x 0 Independiente - Palestra Itália (São Paulo)
24/07/2001 - Independiente 2 x 0 Cruzeiro - La Doble Visera (Avellaneda)
29/07/2001 - Corinthians 2 x 1 Independiente - Pacaembu (São Paulo)
11/09/2001 - Cruzeiro 4 x 1 Independiente - Mineirão (Belo Horizonte)
25/09/2001 - Independiente 1 x 0 Corinthians - La Doble Visera (Avellaneda)
24/10/2001 - Independiente 0 x 0 Flamengo - La Doble Visera (Avellaneda)
31/10/2001 - Flamengo 4 x 0 Independiente - Serejão (Brasília)
28/04/2004 - São Caetano 2 x 2 Independiente [PK 4 x 2] - Anacleto Campanella (São Caetano do Sul)
01/12/2010 - Goiás 2 x 0 Independiente - Serra Dourada (Goiânia)
08/12/2010 - Independiente 3 x 1 Goiás [PK 5 x 3] - Libertadores de América (Avellaneda)
10/08/2011 - Independiente 2 x 1 Internacional - Libertadores de América (Avellaneda)
24/08/2011 - Internacional 3 x 1 Independiente - Beira-Rio (Porto Alegre)
12/07/2014 - Independiente 1 x 3 Atlético Mineiro - CT da AFA (Ezeiza)
21/09/2016 - Independiente 0 x 0 Chapecoense - Libertadores de América (Avellaneda)
28/09/2016 - Chapecoense 0 x 0 Independiente [PK 5 x 4] - Arena Condá (Chapecó)
06/12/2017 - Independiente 2 x 1 Flamengo - Libertadores de América (Avellaneda)
13/12/2017 - Flamengo x Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)

(*) O primeiro adversário brasileiro do Independiente foi uma Seleção Carioca Universitária, que excursionou a Uruguai e Argentina em 1933. A equipe jogou com: Fernandinho; Nariz e Maurílio; Milton, Martim e Ivan; Elói, Paulinho, Maletta, Vicentino e Cunha. O Independiente venceu por 4 a 0, em jogo disputado "perante considerável assistência" no antigo estádio do Boca Juniors (Brandsen y Del Crucero).

Fora das estatísticas acima, há as partidas de combinados envolvendo o Independiente contra combinados brasileiros:
12/01/1940 - Combinado Carioca 1 x 6 Combinado Independiente-San Lorenzo - São Januário (Rio de Janeiro)
23/12/1955 - Combinado Vasco-Flamengo 3 x 1 Combinado Racing-Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)

Também fora das estatísticas, há a partida pelo Torneio Relâmpago de 1940, com duração de apenas vinte minutos:
14/01/1940 - Vasco 1 x 0 Independiente - São Januário (Rio de Janeiro)

Também fora das estatísticas, há um jogo do Independiente no Rio de Janeiro, contra a Seleção Nacional da Romênia:
22/02/1970 - Seleção da Romênia 3 x 0 Independiente - Maracanã (Rio de Janeiro)

PCFilho